Ministério da Justiça e Segurança Pública relata crescimento nas Autorizações de Trabalho concedidas para estrangeiros trabalharem no Brasil.

Capturar

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, em seu Relatório do 2º trimestre de 2019 sobre as Autorizações de residência concedidas a imigrantes, constatou um crescimento no  número de estrangeiros autorizados a trabalhar no Brasil  na comparação com o mesmo período do ano passado, tendo os Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais como a preferência de quem imigra para o país por motivos laborais.

O levantamento mostra um crescimento de 36% de autorizações concedidas no período, saindo de 6.865 para 7.467. Ainda que a maioria das concessões seja para homens, o número de mulheres que estão autorizadas a trabalhar no Brasil cresceu de 526 para 716 ao longo de 1 ano.

PAÍSES

No recorte por países, os Estados Unidos lideram o ranking de autorizações, com 899 concessões, seguido por China (749), Filipinas (669) e Índia (549).

Por outro lado, o interesse de estrangeiros oriundos de países que integram o Mercosul caiu de 204 para 168 no 2º trimestre deste ano em relação ao de 2018.

Nesse caso, caíram as autorizações de cidadãos da Venezuela (71 para 37), Argentina (34 para 28), Colômbia (34 para 26) e Peru (32 para 12). Os únicos que tiveram aumento foram do Chile, de 14 para 45, e do Uruguai, de 1 para 4.

Fontes:

OBMigra. Autorizações de residência concedidas a imigrantes, Relatório 2º Trimestre (abr-jun)2019/ Observatório das Migrações Internacionais; Ministério da Justiça e Segurança Pública/Coordenação Geral de Imigração Laboral . Brasília, DF: OBMigra, 2019. Disponível em: https://portaldeimigracao.mj.gov.br/pt/dados/relatorios-trimestrais

https://www.poder360.com.br/brasil/autorizacoes-para-estrangeiros-trabalharem-no-brasil-crescem-36-no-2o-trimestre/

O que muda com a entrada em vigor da Carteira de Trabalho Digital?

91877105-e6af-4fd9-9d2c-52ffe92f6ec9

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia publicou a Portaria nº 1.065, de 23 de setembro de 2019, que autoriza a substituição da carteita de trabalho em papel pela carteira de trabalho digital, que passará a ser alimentada com os dados do eSocial. 

MUDANÇAS PARA O TRABALHADOR

Ao ser contratado, o novo empregado não precisará mais apresentar a carteira em papel. Bastará informar o número do CPF ao empregador e o registro será realizado diretamente de forma digital.

Com a habilitação da carteira digital, todas as informações sobre a contratação do trabalhador passarão a ser lançadas no documento digital.

MUDANÇAS PARA O EMPREGADOR

As empresas que usam o eSocial não precisarão mais fazer anotações na carteira de papel nem mesmo preencher a carteira digital. Isso porque as informações lançadas no sistema do eSocial migrarão automaticamente para a carteira digital.

Para as empresas que não usam o eSocial continua sendo obrigatória a anotação na carteira de trabalho de papel.

USO DA CARTEIRA EM PAPEL

Por força de lei, de agora em diante a CTPS em papel será utilizada de maneira excepcional, apenas nos seguintes casos:

  • Dados já anotados referentes aos vínculos antigos;
  • Anotações relativas a contratos vigentes na data da publicação da Portaria em relação aos fatos ocorridos até então (daqui pra frente, todas as anotações relativas ao novos fatos serão feitas apenas eletronicamente);
  • Dados referentes a vínculos com empregadores ainda não obrigados ao eSocial.

 

Fonte: http://portal.esocial.gov.br/noticias/ctps-digital-o-que-muda-para-empregadores-e-trabalhadores